Segunda-feira, 30 de Junho de 2014

196 - Pérolas e diamantes: António, o Lamentador

 

A Câmara de Chaves vai fazer aquilo que sempre negou vir a fazer, porque está à beira da falência. A autarquia liderada por António Cabeleira vai pedir um saneamento financeiro.

 

A má gestão do executivo PSD tornou a dívida insustentável.

 

Segundo a lei, o plano exige a tomada de medidas específicas de redução de despesa.

 

Essas medidas têm sempre a ver com a redução da despesa com o pessoal e com o investimento. E também, conforme é do costume, com o aumento de impostos, tais como o IMI e as restantes taxas municipais.

 

Os erros de gestão, aliados à incompetência e à demagogia saloia dos responsáveis autárquicos, vão custar ao erário público, ou seja a todos nós, a módica quantia de 30 mil euros, que é quanto a CMC vai pagar à empresa contratada para o efeito.

 

Coisa que parece não afetar sobremaneira os responsáveis pela calamidade. Outro galo cantaria se esse dinheiro saísse diretamente dos bolsos de quem nos meteu neste buraco sem fundo da dívida.

 

Nos últimos doze anos, a gestão camarária protagonizada pelo PSD de João Batista (agora Secretário da CIM, um tacho dourado feito à medida do ex-autarca) e António Cabeleira, fez aumentar a dívida, isto num cálculo conservador, em cerca de 40 milhões de euros.

 

Ou seja, em três mandatos a dívida camarária, com a gestão de JB e AC, quadruplicou. E as obras, caros flavienses, só as conseguimos ver por um canudo.

 

Por exemplo, a má gestão respeitante ao Mercado Abastecedor, custa 3,5 milhões de euros. E nunca é de mais lembrar a dívida às Águas de Portugal, de cerca de 20 milhões de euros, motivada pelo não pagamento repetido, durante quatro anos consecutivos. Isto depois dos serviços camarários terem cobrado esses serviços aos flavienses.

 

Ripostavam, os prestidigitadores, quando acusados pela oposição de que a dívida era insustentável, que a situação financeira da autarquia era saudável.

 

Quando a oposição propôs uma auditoria às contas, António Cabeleira disse que não, argumentando que as contas estavam bem, porque ele era honesto, porque a gestão do PSD era honesta, verdadeira e transparente.

 

Afinal o que o presidente da Câmara tentava, e tenta, evitar, é que os flavienses se venham a inteirar do enorme embuste que rodeia todo este imbróglio.

 

Daí o “acordo” feito com João Neves. Essa manobra desesperada – pois nem AC se entende com JN nem JN emparelha com AC –, apenas serviu para, no limite, inviabilizar uma auditoria séria e isenta às contas da autarquia.

 

Para nos apercebermos da força política do atual presidente da Câmara de Chaves, basta lembrar a resposta que deu aos jornais quando lhe perguntaram qual a sua posição sobre o encerramento da UTAD de Chaves e sobre a incapacidade da autarquia em conseguir segurar no concelho mais este importante serviço público.  

 

O senhor presidente demonstrou o seu descontentamento e “lamentou” o sucedido. 

 

Quando nos levaram o Hospital AC lamentou, quando nos confiscaram o Tribunal AC lamentou.

 

Aqui ninguém investe, AC lamenta. As obras do Arrabalde transformaram-se em perpétuas, AC lamenta. As estradas do concelho estão num estado lastimável, AC lamenta. Os esgotos correm a céu aberto ali para os lados do Parque Empresarial, em Outeiro Seco, AC lamenta. As pessoas vão-se embora, AC lamenta. As escolas fecham, AC lamenta. As Caldas não conseguem abrir para a época termal, AC lamenta. As casas do Centro Histórico desmoronam-se, AC lamenta. O Comércio Local definha, AC lamenta.

 

Afinal, os flavienses elegeram para estar à frente da autarquia não um líder mas um homem piedoso que apenas reza frente ao muro das lamentações.

 

Já Salazar dizia que cada povo tem o governo que merece. 


publicado por João Madureira às 07:45
link do post | comentar | favorito
|

.Keith Jarrett - La Scala

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 11 seguidores

.pesquisar

 

.Novembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


23
24
25

26
27
28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Em Chaves

. No Porto

. 368 - Pérolas e diamantes...

. No Porto

. No Porto

. No Porto

. Poema Infinito (380): O p...

. No Porto

. No Porto

. 367 - Pérolas e diamantes...

. Em Montalegre

. Em Montalegre

. ...

. Poema Infinito (379): Pro...

. Em Montalegre

. Em Montalegre

. 366 - Pérolas e diamantes...

. Na Feira dos Santos

. Na Feira dos Santos

. Na Feira dos Santos

. Poema Infinito (378): As ...

. Na Feira dos Santos

. Na Feira dos Santos

. 365 - Pérolas e diamantes...

. Na feira do gado - Santos...

. Na feira do gado - Santos...

. Na feira do gado - Santos...

. Poema Infinito (377): Sím...

. Na feira do gado - Santos...

. Na feira do gado - Santos...

. 364 - Pérolas e diamantes...

. No Louvre

. No Louvre

. ...

. Poema Infinito (376): O d...

. No Louvre

. No Louvre

. 363 - Pérolas e diamantes...

. Louvre - Interiores

. Louvre

. Louvre

. Poema Infinito (375): O g...

. Louvre

. Em Paris

. 362 - Pérolas e diamantes...

. Na aldeia

. Na aldeia

. Na aldeia

. Poema Infinito (374): Lab...

. Na aldeia

.arquivos

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.Visitas

.A Li(n)gar