Sábado, 24 de Março de 2007

Joaquim, o Perfeito

 

 

– Espera aqui um pouco que eu já volto – disse eu ao Joaquim, e fui-me embora deixando-o a falar sozinho no meio da multidão.

O Joaquim é bom rapaz mas é chato como a potassa. Enrola-se, e enrola-nos, sempre numa conversa de parvos e não há quem o aguente. Ainda por cima tem o vício de estar sempre a bater-nos nos braços para que lhe prestemos a devida atenção.

Além disso, é daquelas pessoas que, quando fala, não dialoga, impõe. Impõe sempre a sua opinião, que, no Joaquim, não é opinião, mas certeza absoluta. É ele um homem de certezas absolutas. Tem tanta certeza, e tantas certezas, que incomoda.

Se fala de futebol diz logo que o Simão Sabrosa é o melhor jogador do mundo e arredores, pois ele, como se vê, é do Benfica. Não se esquecendo de lembrar, enquanto cospe bolinhas de saliva, que os jogadores do Porto são todos uns trogloditas manhosos e encartados, e os do Sporting uns copinhos de leite misturados com café.

É ele, nas suas próprias palavras e na sua especial visão, o melhor treinador do mundo. Muito melhor que o José Mourinho. Que, na sua douta opinião, não passa de um “treinadorzeco” mediano, arrogante, mas com muita sorte.

Se fala de política, arrasa de uma penada o primeiro-ministro, os ministros e os secretários de Estado. Só ele é que conseguia endireitar o país. E logo se emaranha no enunciado do perfil do seu político ideal: uma mistura de Salazar, Cunhal, Soares, Sócrates, Sá Carneiro, Cavaco Silva e Durão Barroso. Todos misturados num indivíduo só: no Joaquim, claro.

Na sua perspectiva, ele chegava e sobrava para governar Portugal. Só ele sem mais ninguém por perto a importuná-lo. Talvez, se as coisas se pusessem um pouco feias, era capaz de ir buscar alguns directores-gerais para o coadjuvarem. Mas esse cenário só o poderia admitir em casos de extrema gravidade para o nosso querido país.

É esse o protótipo de governo ideal. Ele e só ele. Até dispensava de serviço o próprio presidente da república. E o parlamento. E os respectivos deputados que, na sua óptica, só servem para se sentarem e levantarem e assim ganharem o dinheiro dos contribuintes. Todos eles. Uma cambada de chulos e corruptos.

E quando fala de mulheres é ele o macho perfeito.

Quando fala de maridos é ele o marido perfeito.

Quando fala de filhos é ele o pai perfeito.

Quando fala de pais é ele o filho perfeito.

Só ele é perfeito. O Joaquim.

 


publicado por João Madureira às 22:00
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 13 seguidores

.pesquisar

 

.Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26
27
28
29

30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. No museu

. 410 - Pérolas e Diamantes...

. Interiores

. Interiores

. Interiores

. Poema Infinito (423): O p...

. Interiores

. Interiores

. 409 - Pérolas e Diamantes...

. No Porto

. Passadeira de flores

. Passadeira de flores

. Poema Infinito (422): O v...

. Passadeira de flores

. Na igreja

. 408 - Pérolas e Diamantes...

. ST

. No Barroso

. Sorriso

. Poema Infinito (421): O d...

. No Barroso

. Sorriso

. 407 - Pérolas e Diamantes...

. No Barroso

. No Barroso

. No Barroso

. Poema Infinito (420): As ...

. No Barroso

. No Barroso

. 406 - Pérolas e Diamantes...

. Na conversa

. O espelho

. Tapetes divinos

. Poema Infinito (419): A o...

. Tapetes divinos

. Tapetes divinos

. 404 - Pérolas e Diamantes...

. Na aldeia com neve

. ST

. Na aldeia

. Poema Infinito (418): O j...

. Na aldeia

. Na aldeia

. 404 - Pérolas e diamantes...

. Na chega de bois em Botic...

. O menino e o cavalo

. O homem e o cavalo

. Poema Infinito (417): O m...

. Ovelhas e cabras

. O cavalo

.arquivos

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.favoritos

. Poema Infinito (404): Cri...

.Visitas

.A Li(n)gar