Sábado, 9 de Fevereiro de 2008

deus não é Grande

 

 

A razão não justifica os meios, mas não posso deixar de me surpreender com o livro de Christopher Hitchens “deus não é Grande. Como a religião envenena tudo”.

Neste tempo onde a religião comunista também falhou de forma catastrófica e onde o seu substituto, o islamismo radical, se expande preocupantemente, e enquanto os marxistas-leninistas o condenam nos actos (se é que os condenam verdadeiramente), mas justificam na forma e na ideologia, e onde o cristianismo, na sua versão mais ligth, o catolicismo, se empanturra de justificações cada vez mais parvas e incongruentes para a sua existência e disseminação, é reconfortante ler verdades como as que Hitchens escreve: «Há quatro objecções irredutíveis à fé religiosa: falseia completamente a origem do homem e do cosmos; devido a este erro original consegue combinar o máximo de subserviência com o máximo de solipsismo; é simultaneamente o resultado e a causa de uma perigosa repressão sexual; e, em ultima análise, fundamenta-se em pensamento ilusório».

Ou ainda: «A religião, além de ser um falso consolo, é violenta, irracional, intolerante, aliada do racismo, do tribalismo e do fanatismo, investida de ignorância e hostil ao livre exame, desdenha das mulheres e é coerciva com as crianças».

 


publicado por João Madureira às 22:00
link do post | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 16 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



29
30

31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Poema Infinito (510): A o...

. No CCB - Lisboa

. No CCB - Lisboa

. 492 - Pérolas e Diamantes...

. Montalegre

. Rebanho reconhido

. Feira dos Santos - Chaves

. Poema Infinito (509): Poe...

. No Barroso - vacas e bali...

. Na aldeia

. 491 - Pérolas e Diamantes...

. No Barroso

. No Barroso

. No Barroso

. Poema Infinito (508): A l...

. No Barroso

. No Barroso

. 490 - Pérolas e Diamantes...

. Chaves

. Chaves

. Sapateiro de Chaves

. Poema Infinito (507): A a...

. Feira dos Santos - Chaves

. Feira dos Santos - Chaves

. 489 - Pérolas e Diamantes...

. Tunas

. Em Chaves

. Em Alhariz

. Poema Infinito (506): A h...

. Tâmega - Chaves

. Poldras de Chaves

. Vai-me custar partir... A...

. Em Chaves

. No Barroso

. Amigos no Barroso

. Poema Infinito (505): Poe...

. Músicos em Santiago de Co...

. Barroso

. 488 - Pérolas e Diamantes...

. Chaves em quarentena X

. Chaves em quarentena IX

. Chaves em quarentena VIII

. Poema Infinito (504): O a...

. Chaves em quarentena VII

. Chaves em quarentena VI

. Epístola segunda

. Ali e a semiótica

. Céu muito nublado

. Chaves em quarentena V

. Chaves em quarentena IV

.arquivos

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.favoritos

. Poema Infinito (404): Cri...

.Visitas

.A Li(n)gar