Segunda-feira, 9 de Fevereiro de 2015

226 - Pérolas e diamantes: da possibilidade de mudança

 

O jurista João Taborda da Gama escreveu no DN que “Todo o político é um mentiroso. Se não fosse mentiroso era cientista. Ou conservador do registo predial. As relações entre a política e a realidade são complicadas.”

 

Eu não sei se acompanho o jurista em conclusão tão absoluta. Prefiro antes solidarizar-me com Vatal Nagaraj, presidente de um partido local indiano da cidade de Bangalore, que resolveu no passado mês condecorar os seus dois burros pelo trabalho prestado e pela sua lealdade.

 

Rosseau dizia que somos prisioneiros das nossas necessidades. Agora sabemos que também já somos prisioneiros dos nossos políticos de pacotilha.

 

A sociedade portuguesa está cada vez mais pobre e exaurida. As pessoas estão tolhidas pelo medo, pela necessidade, pela crise e pelo desespero.

 

Na nossa cidade passa-se o mesmo.

 

A imagem que tenho da gestão política da autarquia flaviense é que ela é carrancuda e obscura como se fosse uma fotografia desfocada. Cansa-se e esgota-se em pequenas guerras de bastidores, anima e manobra exíguas intrigas entre instituições e associações. Fica mal no retrato.

 

No nosso concelho não se conseguem levar por diante projetos de qualidade porque a Câmara está dividida entre os que são do PSD e os que pertencem ao PS. E esta gente detesta-se uma à outra.

 

A política define-se como a defesa do bem comum. Mas por cá tal não existe. A política está reduzida ao formalismo.

 

Os que defendem que a política formal é a que resolve tudo, sabem perfeitamente que essa é a forma perfeita de que ninguém faça aquilo que tem de fazer.

 

Existe cada vez mais a sensação de que a política se centra apenas em jogos de conquista do Estado e do poder autárquico.

 

Não é por acaso que a palavra escolhida pelos portugueses para definir a gramática política portuguesa tenha sido “corrupção”.

 

Apesar disso, penso que o nosso problema é mais de qualidade política do que de corrupção. Na prática política dos nossos dirigentes não existe coerência.

 

A política deste governo e desta maioria é má porque procura mobilizar o medo e o desespero.

 

A maioria dos nossos ministros nunca trabalhou. Eles não conhecem, nem querem conhecer, a realidade. E isso é mau.

 

Grande parte da diferença política que defendemos tem a ver com a capacidade de afrontar as forças do BCI (Bloco Central dos Interesses formado pelo PSD, CDS e PS), que se mexem nas areias movediças da corrupção e da prepotência. Daí a necessidade de novos protagonistas e de novos partidos. Os tradicionais já deram aquilo que tinham a dar.

 

A promiscuidade entre o poder económico e o poder político deu nisto. As ideologias já nem sequer existem. O que é triste. Em Portugal não temos democracia cristã, nem social-democracia e muito menos socialismo.

 

Mas a verdade é que as pessoas continuam a ter as suas alegrias, a tirar prazer das pequenas vitórias do dia-a-dia e a exercer o seu direito à vida.

 

As pessoas têm dificuldades, mas as dificuldades não impedem as lutas, o convívio e a solidariedade.

 

A mudança é possível. Ainda há futuro… no futuro. 

 

 

PS – Péricles escreveu: O segredo da felicidade é a liberdade; o segredo da liberdade é a coragem. Por isso, senhor presidente da CMC, mais uma vez o incitamos, a si e aos seus distintos vereadores, a aprovarem uma auditoria independente às contas da nossa autarquia, pois quem não deve não teme e à mulher de César não lhe basta ser séria, tem de parecê-lo. Com esse seu ato de audácia, com toda a certeza que passaríamos todos a dormir um pouquinho mais tranquilos.

 

PS 2 – E, já agora senhor presidente, talvez fosse boa ideia aprovar conjuntamente uma auditoria externa às contas da JF de Santa Maria Maior, da qual foi digno presidente, até 2013, o gracioso vereador João Neves (ex-MAI e atualmente do PSD), pois quem não deve não teme; certos de que aquele que tão corajosamente reivindicou, durante toda a campanha eleitoral, uma auditoria às contas da Câmara de Chaves, com toda a certeza verá com bons olhos, e até louvará expressivamente, uma auditoria realizada às contas do seu virtuoso mandato.


publicado por João Madureira às 07:15
link do post | favorito
Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.


.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 13 seguidores

.pesquisar

 

.Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Poema Infinito (486): Dis...

. Em Paris

. Em Paris

. 472 - Pérolas e Diamantes...

. Feira dos Santos

. ST

. Na cozinha

. Poema Infinito (485): Sed...

. Olhares

. Vacas e balizas

. 471 - Pérolas e Diamantes...

. Em Amarante - Cultura que...

. Na feira

. No Porto

. Poema Infinito (484): Eco...

. Chega de bois em Boticas

. No Barroso

. 470 - Pérolas e Diamantes...

. Interiores

. Castelo de Montalegre

. No Barroso

. Poema Infinito (483): Ilu...

. No Barroso

. Na aldeia

. 469 - Pérolas e Diamantes...

. Na aldeia

. Noturno

. ST

. Poema Infinito (482): Res...

. No Barroso

. No Louvre

. 468 - Pérolas e Diamantes...

. AB

. VS3

. VS2

. Poema Infinito (481): Que...

. VS

. CL

. 467 - Pérolas e Diamantes...

. Pisões

. Misarela

. Olhares

. Poema Infinito (480): As ...

. Na Abobeleira

. Barroso

. 466 - Pérolas e Diamantes...

. São Sebastião - Alturas d...

. Em Coimbra

. No Louvre

. Poema Infinito (479): Ao ...

.arquivos

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.favoritos

. Poema Infinito (404): Cri...

.Visitas

.A Li(n)gar