Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

TerçOLHO

Este é um espaço dedicado às imagens e às tensões textuais. O resto é pura neurastenia.

TerçOLHO

Este é um espaço dedicado às imagens e às tensões textuais. O resto é pura neurastenia.

10
Out16

310 - Pérolas e diamantes: detalhes alternativos

João Madureira

 

 

 

Para mal dos nossos pecados, ainda teimamos em viver nesta dicotomia entre esquerda e direita.

 

Por agora, a direita liberal diz-se alternativa à direita alternativa e até à esquerda clássica. E a esquerda clássica, e informal, por seu lado, afirma-se alternativa à direita alternativa e à esquerda alternativa clássica.

 

Sendo que a direita alternativa é hoje alternativa à antiga direita alternativa, ou não, e à esquerda lato senso, ou quase. E a esquerda alternativa é alternativa à esquerda super híper alternativa, ou não, e à direita senso lato, ou talvez sim. Ou sopas.

 

Claro que esta alternativa toda, ou toda esta alternativa, mais não é do que um exercício útil, ou inútil, na sua própria preguiça.

 

E tudo isto resulta da velha leitura apócrifa do novo evangelho sobre o velho testamento e da nova leitura interpolada do novo testamento sobre o velho evangelho.

 

Mas todos sabemos que é do novo caos que nasce a velha ordem. E também que é da nova ordem que ressuscita o velho caos. Deus habita, e hesita, entre os detalhes alternativos. Ou não.

 

Entretanto, os consumidores normais de direita e de esquerda dedicam as suas vidas a comprar e a gastar, e os consumidores liberais da esquerda e da direita alternativas, ouvem nos iPods, ou nos concertos que frequentam, a sua world music e mastigam delicadamente a sua comida biológica. 

 

Mas uma coisa nos deve preocupar, como preocupou Charles Fourier [(1772-1837), considerado por Marx e Engels  um dos pais do socialismo crítico-utópico], que encontrei por puro acaso na deliciosa leitura de Michel Houellebecq.

 

Para o filósofo francês, a grande questão social estava relacionada com a organização da produção.

 

Houellebecq, pela voz de uma das suas personagens de O mapa e o território, considera-o um guru, não um pensador, daí o seu êxito lhe vir, não da adesão intelectual a uma teoria, mas antes da incompreensão geral, associada a um inalterável otimismo, em especial no plano sexual.

 

As pessoas necessitam incrivelmente de otimismo sexual, pensa a tal personagem do escritor francês.

 

A grande questão para o intelectual francês é esta: porque é que o homem trabalha? Qual a razão de ele ocupar um determinado lugar na organização social e aceitar lá estar e cumprir a sua tarefa?

 

Os liberais pensavam, e continuam a pensar, que é pura e simplesmente pela ilusão do lucro. Mas é bem provável que a resposta seja insuficiente.

 

Por seu lado, os marxistas-leninistas nem sequer se interessaram pelo assunto. Daí o comunismo ter fracassado. E a explicação é bem simples: mal suprimiram o ferrão financeiro, as pessoas deixaram de trabalhar, limitaram-se a sabotar a sua tarefa. O absentismo passou a ser enorme.

 

Todos hoje sabemos que as sociedades ditas comunistas foram incapazes de assegurar a produção e a distribuição dos bens elementares. Uma sociedade incapaz de produzir, por exemplo papel higiénico e sabão, está condenada ao fracasso.

 

Fourier conheceu o Ancien Régime. Sabia que muito antes do aparecimento do capitalismo já haviam tido lugar pesquisas científicas, progressos técnicos e que existiam pessoas que trabalhavam duramente, por vezes muito duramente, sem serem impelidas pelo ardil do lucro, mas antes por uma coisa bem mais vaga aos olhos dos homens práticos: o amor a Deus, no caso dos monges, ou, no nosso caso, a honra da função.

 

Nos tempos que correm todos queremos ser artistas, políticos ou homens de negócios. Por isso é que outra personagem de O mapa e o território canta a plenos pulmões, com um copo de vodka a tremer-lhe nas mãos, numa das tais vernissages do people que frequenta estas liturgias: “Gostava de ser artiiiista / Para o mundo recriar / Poder ser um anarquiiiista / E de barriga pró ar!”

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

blog-logo

Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

A Li(n)gar