Segunda-feira, 26 de Março de 2012

Da expetativa ao imobilismo (VIII): a propaganda e as ideias – parabéns António, és um génio!

 

E ali estava o título da notícia ocupando metade da primeira página do meu semanário regional de referência: “Várias dezenas de pessoas manifestaram o seu apoio à candidatura do arq.º António Cabeleira à Câmara Municipal de Chaves.”

 

O título, convenhamos, é já a própria notícia, ou mesmo um pouco mais do que ela. Encostado ao canto esquerdo encontrava-se o retrato de perfil da face, um pouco pardacenta, do senhor vice. E por baixo dela, ele, na sua imodéstia tão modesta, estava citado: “Se for vontade do PSD, estou disponível para assumir a responsabilidade de ser candidato à Câmara Municipal de Chaves.”Parabéns pela tua humildade. Bravo, António. És um génio!

 

Por baixo do extenso título podíamos ver a cara de caso dos militantes e simpatizantes do PSD, talvez escutando as palavras do seu putativo candidato a candidato à Câmara flaviense. Digamos que a encenação obedeceu a alguns critérios de propaganda. Mas daí também não vem grande mal ao mundo. Parabéns pela tua encenação. Bravo, António. És um génio!

 

A notícia de uma candidatura anunciada já tinha sido dada na edição anterior, tentando constituir um facto político mesmo antes de o ser, tal como a pescada. Só que esta é a técnica da pescadinha de rabo na boca. Não sabemos onde começa a verdade e onde termina a encenação. Mas tudo bem. Parabéns pela tua discrição. Bravo, António. És um génio!

 

Ora na citada edição anterior aparecia o senhor vice camarário, devidamente engravatado, com a tentativa de um sorriso no rosto, ilustrando o título “Autárquicas 2013: Almoço de apoio à candidatura do arq.º António Cabeleira”. Quem diria. Ó surpresa das surpresas! Parabéns pela tua sobriedade. Bravo, António. És um génio!

 

E lá fomos nós à procura da citada notícia. E ali estava ela na página dois. A notícia era pequena, pois coube em apenas treze linhas. Já o que se lhe seguia era muito mais extenso: identificação, formação académica, percurso político, experiência profissional e outras atividades. Para tal, foram necessárias cerca de cento e sessenta linhas. E lá nos pusemos a ler. Parabéns pela tua relevância tão irrelevante. Bravo, António. És um génio!

 

Quando chegámos ao fim concluímos que o que se aproveitava como relevante do currículo do senhor vice camarário, e putativo candidato à Câmara de Chaves, “se for vontade do PSD”, era muito pouco, talvez coubesse em menos das treze linhas da notícia, onde se referia que três presidentes de junta tinham tomado a iniciativa de realizarem um almoço de incentivo ao senhor arq.º António “para que seja o próximo candidato à CMC”. Parabéns pela tua irrelevância tão relevante. Bravo, António. És um génio!

 

E o seu currículo é tão interessante, e tão exaustivo, que até tem, além do nome e da data de nascimento, a nacionalidade, a naturalidade, o número do BI, o arquivo de identificação, a data de emissão e o número fiscal, talvez para não ficarem dúvidas de que é um cidadão português, e outras coisas tão relevantes na carreira de um político da sua estirpe e verticalidade. Parabéns pelo teu brilho. Bravo, António. És um génio!

 

 Não resistimos a sugerir que para a próxima vez inclua, na sua identificação, a altura, a cor dos olhos, o peso, o número dos sapatos que calça, o grupo sanguíneo, o boletim de vacinas e a ficha dentária. Nem tudo lembra, bem sabemos, mas para isso estamos cá nós que para alguma coisa devemos servir. Mas não é isso que nos vai impedir de repetir: Parabéns pelo teu brilho. Bravo, António. És um génio!

 

Para não restarem dúvidas sobre a sua formação, cita-a duas vezes, uma na identificação e outra na formação académica, bem assim como uma pós graduação feita na UTAD com a utilidade que todos lhe reconhecemos. Depois refere o seu percurso político, revelando, desde logo, a sua tendência para ser vogal das comissões políticas distritais, e vice-presidente, além de destacar que foi “eleito inúmeras vezes membro da Assembleia Distrital de Vila Real”, também com o relevo e a projeção que todos sabemos. Parabéns pelo teu brilhante currículo. Bravo, António. És um génio!

 

Acompanhou, ainda, no papel, muita coisa: foi membro de diversas comissões irrelevantes e etc. e tal. Além disso, é autor de um interessantíssimo, e badalado, livro intitulado “Critérios para a Classificação de Municípios de Montanha Portugueses”, elaborado para a Associação Nacional de Municípios, com a utilidade que todos pressentimos. Parabéns pela tua obra literária e científica. Bravo, António. És um génio!

 

Podemos afirmar, sem exagerar, que o currículo possui a dimensão do senhor vice camarário. As partes relevantes chegam e sobram para ocuparem três linhas. O que já não é pouco. Mas também para que raio serve um currículo? Apesar disso, voltamos a repetir: Parabéns pelo teu comedimento. Bravo, António. És um génio!

 

Mas passemos às palavras, pois nestas coisas da política são elas que definem o percurso e a motivação. Fomos informados que estiveram perto de cem pessoas, entre membros das juntas de freguesia e assembleias de freguesia, comissão política do PSD e da JSD e executivo municipal. Ou seja, estiveram os convertidos, que, ao que sabemos, são poucos e têm tendência a diminuir. Parabéns pela tua teimosia. Bravo, António. És um génio!

 

Basta olhar para as fotos para vermos que o entusiasmo foi parco. Mas nada que nos surpreenda. Pois é certo e sabido que para aí metade dos que lá estavam, e outra metade dos que lá não puseram os pés, vão pôr-se tesos quando o senhor vice camarário lhes tiver de informar que as suas juntas, e respetivas assembleias de freguesia, vão ser extintas pelo governo central que é do PSD. Parabéns pela tua frontalidade. Bravo, António. És um génio!

 

Ou seja, o “grande apoio” do arq.º António vai ficar atrapalhadíssimo quando tiver, em plena campanha eleitoral autárquica, que defender a política do seu partido em extinguir metade das freguesias de Chaves, ou seja vinte e cinco. Quero ver como vão ser capazes de explicar às populações, que dizem defender e representar, o motivo por que o PSD resolveu extinguir a freguesia A em favor da B, a C em detrimento da D e como resolveram fundir as freguesias E, F e G para darem lugar à freguesia I, que fica perto da J, que, por seu lado, foi preservada e que vai acolher as freguesias K, L e M. Parabéns por estares de parabéns. Bravo, António. És um génio!

 

Adivinho, com as singularidades das nossas aldeias e com a idiossincrasia do nosso povo, uma guerra feroz em torno do seu território, da sua identidade e da sua memória. Extinguir freguesias e concelhos é abrir uma caixa de Pandora que ninguém sabe o que poderá significar em termos de identidade local, regional e nacional. Isto é brincar com o fogo. E então neste período de crise severa, a ousadia pode incendiar o país e torná-lo ingovernável. Mas o PSD lá sabe as linhas com que se cose. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

Mas voltemos à notícia que aqui nos trouxe. Parece que o presidente da Junta de Santa Maria Maior agradeceu a presença dos convivas por terem aderido à iniciativa no sentido de “motivar” o arq.º António para que seja o candidato do PSD à CMC. Pelos vistos, a tal vaga de fundo não existe porque muita gente do PSD não se revê na candidatura do vice camarário de João Batista. A disputa dos lugares já começou a fazer as primeiras baixas. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

João Neves anda a tentar segurar o seu lugar de candidato à freguesia de Santa Maria Maior, que, com toda a certeza, verá a seu território aumentado e as suas competências alargadas, lugar que já foi prometido a muitos outros e que aguarda o desenvolvimento dos distintos movimentos e dos diversos grupos e tendências dentro do PSD local. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

O João, presidente da Junta, dentro do seu estilo inconfundível, prometeu apoio ao António, porque a caminhada que se avizinha é “difícil”, lembrando o percurso fiel do António ao PSD e o estatuto de braço direito do “nosso querido amigo” João, o presidente da Câmara. E, para terminar, resolveu dar uma nota de internacionalismo partidário e linguístico, mandando o nacionalismo às malvas e a história dar uma volta, afirmando em Espanhol: “Tu si que valles.” Profundo. Tocante. Elucidativo. Relativamente às ideais para a cidade e para o concelho, nem uma se lhe ouviu. E isso também a quem interessa? Quando ganharmos logo se vê! Propaganda 1, ideias 0. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

De seguida falou o presidente da JSD que nada disse de substancial, a não ser prometer apoio ao António, o tal apoio das bandeirinhas, das esferográficas, dos autocolantes e das camisolas. Ideias nem uma. Portanto: propaganda 2, ideias 0. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

E ainda antes do putativo candidato do PSD à CMC, falou o outro João, o Batista, que prometeu apoio ao António, o Cabeleira, e se referiu à “proximidade” das Juntas de Freguesia em relação às pessoas, estando assim em melhor posição para encontrar as soluções mais adequadas. Apontando os presidentes de Junta como sendo as mais importantes referências das populações. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

Mas esqueceu-se de explicar aos presentes, e também aos leitores do jornal, que, a ser assim, por que carga de água é que ele e o seu partido, que também é o do João Neves e dos outros presidentes de junta presentes, apoiam, e vão implementar, a extinção de vinte e cinco freguesias do concelho de Chaves, pretendem acabar, em metade das nossas aldeias, com o apoio de proximidade, muitas das vezes o único, mandando os atuais presidentes para casa aquecer-se à lareira, sujeitos a verem morrer sem o devido apoio o que resta da população idosa das suas localidades. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

Depois continuou a pronunciar palavras de circunstância na tentativa de não responder a nada nem a ninguém. Também a quem é que isso interessa? Ideias para a cidade e para o concelho nem uma. O que também não é para admirar, pois tem sido essa a matriz da sua gestão autárquica. Portanto: propaganda 3, ideias 0. Bravo, António. És um génio! Parabéns.

 

A finalizar falou o putativo candidato António, o Cabeleira, que de uma forma comovida, isto segundo o jornal, disse banalidades atrás de banalidades. É bem possível que tenha sido por causa da emoção. Mas deve ser bonito de observar o senhor vice camarário comovido. Deve ser mesmo um papelinho. Além de estar emocionado, o putativo candidato António, disse-o: “Agradeço com muita emoção, respeito e subida honra, esta manifestação de apoio.” Brilhante. Tocante. Relevante. Original. Sincero. Parabéns. Bravo, António. És um génio!

 

E prosseguiu: “Hoje os novos tempos exigem políticas de verdade.” Só que nada disse sobre a extinção de 25 freguesias por parte do seu partido e ainda quais e porquê? Falar de políticas de verdade é uma coisa, agir em concordância com aquilo que se afirma, isso é outra coisa bem mais séria e difícil. Portanto isso de falar verdade é uma enorme falácia. Parabéns pela tua ousadia, bravura e coerência. Bravo, António. És um génio!

 

Falou ainda do desenvolvimento e outra vez de verdade. Mas nada disse sobre as 25 juntas de freguesia que o PSD se prepara para extinguir. Nem uma única palavrinha. Portanto a sua “verdade” é uma enorme artimanha. Falou ainda de esperança e de que ela exige responsabilidade. Fez parágrafo e continuou: “Estou convicto que o nosso partido tem condições de continuar a vencer eleições e a participar de uma forma decisiva no desenvolvimento sustentável do concelho de Chaves.” Ora dizer isto e não dizer nada é a mesma coisa. E lá se vai a verdade pelo cano abaixo. Parabéns pela tua ousadia, fé, esperança, caridade, bravura, coerência e tudo o resto. Bravo, António. És um génio!

 

Seguidamente voltou a falar mas a nada dizer, a não ser reafirmar o compromisso com a verdade. Mas nada disse aos presentes sobre a extinção de 25 freguesias do nosso concelho que vai ser ele, ou alguém por ele, a desenhar e implementar. Essa é a sua verdade, nada dizer de concreto sobre o maior atentado de que há memória contra as populações rurais, contra o interior, contra o poder local, contra a democracia. O que foi mais recorrente no seu discurso foi falar em eleições e em ganhá-las. Nem uma ideia referiu, nem um projeto adiantou. Limitou-se a fazer demagogia e a esconder a verdade por detrás da palavra verdade. Essa é a sua verdade. E isso é um enorme embuste. Portanto: propaganda 4, ideias 0. Parabéns. Parabéns. Parabéns. Bravo, António. És um génio!

 

Com políticos desta dimensão só nos resta fazer votos para que não cheguem de novo ao poder, senão estamos tramados. Parabéns por nos abrires os olhos e por nos despertares da letargia. Nós cá vamos estar para o que der e vier. Parabéns. Parabéns. Parabéns. Bravo, António. És um génio!


publicado por João Madureira às 07:00
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De tito flavio a 26 de Março de 2012 às 23:13
Nós os escolhemos chaves para viver, andamos assustados, a serem verdades as denuncias feitas neste blog à desastrada e ruinosa gestão autárquica do padre joão e do seu vice sacristas de castelãos. será que os presidentes de junta lem as atas da câmara? Não, por certo, pois se lessem veriam quem mais berra é que mais mama. Que democracia esta destes dois artistas. Quem é por mim, dou tudo, quem não é, leva, mesmo que seja da cor partidária. Zangam-se todos dentro da laranjada. A castiga B, C diz mal de A e de B, E faz queixa de A,B,C... enfim aquilo parece a república das bananas e padre joão já nem se interessa, pois a cãmara parece um barco à deriva. Querem é uns copitos e o resto é conversa. Quem vier que feche a porta, diz o padre, mas a herança ao sacristas é pesada e ele, ou muito me engano, ou não vai lá das pernas. Só se o pobo continuar a querer ser burro, mas stou que não!


Comentar post

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 14 seguidores

.pesquisar

 

.Abril 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Poema Infinito (453): A n...

. No Barroso

. No Barroso

. 438 - Pérolas e Diamantes...

. São Sebastião - Couto Dor...

. Na aldeia

. São Sebastião - Couto Dor...

. Poema Infinito (452): Hes...

. São Sebastião - Couto Dor...

. No Couto de Dornelas

. 437 - Pérolas e Diamantes...

. No Barroso

. No Barroso

. No Barroso

. Poema Infinito (451): Os ...

. No Barroso

. No Barroso

. 436 - Pérolas e Diamantes...

. Na Feira

. Na aldeia

. Olhares

. Poema Infinito (450): O d...

. Vaca atenciosa

. BB

. 435 - Pérolas e Diamantes...

. ST

. ST

. ST

. Poema Infinito (449): Inc...

. ST

. Na aldeia

. 434 - Pérolas e Diamantes...

. Na aldeia

. Mulheres

. Na aldeia

. Poema Infinito (448): O g...

. Na aldeia

. Na conversa

. 433 - Pérolas e Diamantes...

. No elevador do CCB

. Em Paris

. Em Paris

. Poema Infinito (447): Des...

. Em Paris

. Em Paris

. 432 - Pérolas e Diamantes...

. São Sebastião - Couto Dor...

. ST

. Perfil

. Poema Infinito (446): O p...

.arquivos

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Setembro 2015

. Agosto 2015

. Julho 2015

. Junho 2015

. Maio 2015

. Abril 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Dezembro 2014

. Novembro 2014

. Outubro 2014

. Setembro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Maio 2014

. Abril 2014

. Março 2014

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

.favoritos

. Poema Infinito (404): Cri...

.Visitas

.A Li(n)gar