Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

TerçOLHO

Este é um espaço dedicado às imagens e às tensões textuais. O resto é pura neurastenia.

TerçOLHO

Este é um espaço dedicado às imagens e às tensões textuais. O resto é pura neurastenia.

28
Dez17

Estás profundamente íntima...

João Madureira

 

Estás profundamente íntima como um fruto ao sol. Dá-me a mão porque quero sentir a tua memória silenciosa. Apago lágrimas rápidas num sorriso que te é dirigido. Os teus olhos são faúlhas feridas pela ondulação do mundo. A tua cara luminosa ama a luz e as palavras que nos nascem na boca. Há inúmeros lugares no teu corpo que inventam espaços. Consumo devagar o meu tempo acelerado. É Primavera no canto dos pássaros e no meu corpo já é Outono. A melancolia procura devagar aquilo que vai destruir. Pões-me palavras pesadas nas mãos e eu desfaleço. Vêm paisagens de longe sentar-se ao meu colo batidas pelo vento. Começa um novo tempo insuportável. O tempo da ternura e do silêncio escuta o nascer dos bichos. Explicas-me a morte e a alegria com palavras veladas pela curva fechada dos sentidos. O teu tempo de mulher refaz-se. As coisas nascem de ti, da tua boca de água. Alguém arranca a floração das imagens. Tremem-me os dedos nos objectos que toco. Tu és um objecto que brilha. A leveza da minha mão desequilibra o teu regresso. As tuas mãos velozes levantam a flor que cortaste pela manhã. Também eu amei lentamente o segredo das coisas mínimas. A juventude vingativa. A ardente confusão de ser adulto. A loucura dos indivíduos que dormem acordados. O silêncio completo dos dias apagados. Dizes: qualquer paixão crepita no escuro. Os corpos incendeiam-se dentro das casas. Os lençóis brilham como se fossemos diamantes de desejo. Nervo a nervo, a doçura salta entre a boca e o sexo. Atrais deus ao pecado. O teu sexo é oxigénio puro. O amor queima como chumbo fundido. O teu corpo queima como uma caixa de vidro ao sol. Os nossos sexos são agora espelhos torrenciais de luz. No final os púbis brilham. O prazer escoa-se sibilante nos nossos corpos ardidos de cansaço. Há uma cratera límpida no nosso desejo. Adormeço junto ao brilho do teu rosto em descanso.

Mais sobre mim

foto do autor

Visitas

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

blog-logo

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2006
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2005
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

A Li(n)gar